contato@zaninitafuri.com.br

(12) 9 8266-7291

Notícias

Falecimento de Funcionário e o Pagamento das Verbas Rescisórias

Como fica a situação de falecimento de funcionário e o pagamento das verbas rescisórias? Já que, nos casos em que o empregado tem seu contrato de trabalho rescindido existem valores a serem acertados.

Como por exemplo saldo salário, seguro-desemprego em alguns casos, ou até mesmo a multa de 40% sobre o saldo do FGST. Contudo, quando o empregado perde a vida a rescisão de seu contrato acontece de maneira automática. Sem acordo entre patrão e funcionário, sem demissão ou pedido de rescisão.

Nesse caso surgindo questionamento por parte de seus familiares, sobre como proceder para requerer os valores a qual o funcionário teria direito. Bem como, quem são as pessoas que realmente tem direito a solicitar o pagamento e quais as verbas rescisórias são devidas.

Pagamento das Verbas Rescisórias – Falecimento de Funcionário

Eventualmente nos casos de falecimento do empregado fica a obrigação do empregador de realizar o pagamento das seguintes verbas rescisórias:

1. Saldo Salário:

Valores destinados ao empregado pelo período que existe em aberto no trabalho a qual teria direito ao recebimento salarial.

2. Decimo Terceiro Proporcional:

Outra das verbas rescisórias a serem pagas é o 13º salário proporcional, ou seja, calculando sobre o valor dos meses trabalhados quanto o empregado tem direito.

3.    Para empregados com mais de um ano no trabalho – Férias Vencidas:

Eventualmente trabalhadores com mais de um ano de trabalho que não tenha tido o período de gozo de férias tem direito ao recebimento das férias vencidas. Sendo que elas devem ser acrescidas de 1/3 conforme ditado pela Constituição Federal.

4.    Valores Pagos a Dependentes:

Os valores pagos a título de verbas rescisórias ao empregado falecido são destinados aos dependentes previamente habilitados no Sistema da Previdência Nacional.

Caso de dúvida a quem deve ser pago os valores devidos, sugere-se ao empregador que realize o depósito judicial.

Dessa maneira, as verbas como FGTS e Aviso Prévio não devem existir no caso de falecimento de funcionários. Devendo o empregador se atentar a quem deve receber e os valores a serem pagos, dentro do prazo legal para não incorrer em multa.

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Pesquisar

Últimas Notícias

Categorias

Tags

Direito Empresarial, Direito Tributário, Direito Trabalhista, Direito Sindical, Direito de Família, Direito de Condomínios, Direito Previdenciário, Direito Empresarial, Contrato, Contrato Mercantil, Recuperação Judicial, Contrato Societário, Sociedade Simples, Sociedade Limitada, Eireli, Dissolução Societária, Microempresas, Direito tributário, Impostos, Taxas, Contribuições, Recuperação de créditos, Direito Trabalhista, Relação Sindical, Convenção Coletiva, Acordo Coletivo, Dissídio Coletivo, Acordo, Direito Condominial, Cobrança, Assembleia, Regimento Interno, Síndico, Ação de Cobrança, Direito de Família, Pensão, Alimentos, Divórcio, Separação, Inventário, Adoção, Guarda, Testamento, Interdição, Planejamento Sucessório, Pacto Antinupcial, Direito Previdênciário, Aposentadoria, Aposentadoria Especial, Aposentaria Invelidez, Auxílio Doença, Auxílio Acidente, Loas, Pensão por Morte Rural, Pensão por Morte, Benefício Assistencial ao Idoso, Pecúlio

São Paulo

Av. Paulista, 37 – 4º andar – Bela Vista – São Paulo/SP
CEP: 01311-902

Taubaté

Rua do Corrêa, 255 – Cj. 15 Centro – Taubaté/SP
CEP: 12080-290

Contato

(11) 2761-5734 – São Paulo
(12) 4101-2113 – Taubaté

Acompanhe nossas Redes Sociais

© 2020 Zanini & Tafuri – Todos direitos reservados. Desenvolvido por 3MIND.